MEMORIES OF THE FLOOD OF 1974 AND THE PRODUCTION OF SPACE IN TUBARÃO (SC)

Abstract

The flood of 1974 displaced sixty thousand of the seventy thousand inhabitants of the municipality of Tubarão (SC) and caused the death of dozens of people. The city maintains the memory of the flood through several initiatives, which intensified in the beginning of the twenty-first century. Starting from the perspective that disaster investigations should consider not only their contingency, but also include post-disaster studies, a documentary survey of these memory-keeping initiatives of the flood was conducted. The objective was to understand these actions as policies of memory and to investigate their relationship to the social production of urban space, through an analysis of monuments in the city and the adoption of measures such as the creation of the municipal day of remembrance of the catastrophe. Memory is considered as a collective and selective process about what must be remembered and forgotten, which can be materialized in the urban landscape, representing a link between time and space. The research shows that the construction of monuments and other references to the flood are closely related to the city’s political moments and characters, and concludes that policies of memory are key elements for the construction of history and urban identity and legitimizing new political actions.


Keywords: Flood; Memory; Social production of space; Monuments.

Author Biography

Viviane Kraieski de Assunção, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Doutora em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina (2011), Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). Realizou estágio-sanduíche no Institute of Latin American Studies da Columbia university.  Realizou pós-doutorado em Antropologia Social na Free University of Amsterdam (2012-2013). Atua em pesquisas, principalmente, nos seguintes temas: percepção e memória ambiental, conhecimentos tradicionais, alimentação, consumo e descarte, meio ambiente urbano e migração.

References

ALBEIRICE, P. Tubarão 74: A Catástrofe. Tubarão: Dehon, 1981. 107 p.
ASSUNÇÃO, V. K. de. Enchente de 1974 como drama social: relações entre percepção de risco, conflito e gentrificação. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 17, n. 4, p. 195-212, dez. 2014. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2017.
BECK, U. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. 1. ed. São Paulo: Editora 34, 2010. 367 p.
BOSI, E. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 6 ed. São Paulo: T.A. Queiroz, 1998. 484 p.
CARGNIN, A. Tubarão: do primeiro centenário ao fim do milênio. Tubarão, SC: Dehon, 2000. 174 p.
CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas. Tubarão 50 anos. 2016. Disponível em: http://cdltubarao.com.br/Livro%2050%20anos%20CDL.pdf>. Acesso em: 15 mar. 2017.
CORRÊA, R. L. Monumentos, política e espaço. Scripta Nova. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales, Barcelona, v. IX, n. 183, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2015.
DANIELS, S.; COSGROVE, D. Spetacle and Text. Landscape Metephors in Cultural Geography. In: DUNCAN,J.; LEY, D. (Org.). Place/Culture/Representation. Londres: Routledge, 1993. p. 57-77.
DOUGLAS, M. Risk and Blame: essays in cultural theory. New York: Routledge, 1994. 323 p.
FEUERSCHUETTE, I. J. Uma direção para a vida. Tubarão: Reuter, 2004.
FRASSON, M. M. A enchente de 1974 em Tubarão-SC: a construção de um desastre natural. 2011. 130 f. TCC (Graduação) - Curso de História, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2011.

FREIRE, C. Além dos mapas. São Paulo: SESC, Annablume, 1997. 317 p.
FREITAS, C. F. Vivências e evidências da enchente de 1974 em Tubarão. 2001. 34 p. Monografia (Especialização em História Local e Regional) - Universidade do Extremo Sul Catarinense, 2001.
HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Vértice/Revista dos Tribunais, 1990. 189 p.
HARVEY, D. Condição pós-moderna. 10. ed. São Paulo: Loyola, 2001. 349 p.
JELIN, E. (Org.). Las conmemoraciones. Madrid: Siglo XXI, 2002. 254 p.
JEUDY, H-P. Introduction à la quatrième partie. In: JEUDY, H-P. (Org.) Patrimoines em folie. Paris: Éditions de la Maison des sciences de l’homme, 1990. p. 249-250
LEFEBVRE, H. O pensamento marxista e a cidade. Póvoa de Varzim: Ulissea, 1972. 173 p.
LOPES, A. R. S. Desastres socioambientais e memória no sul de Santa Catarina (1974-2004). 2015. 383f. Tese (Doutorado em História Cultural) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.
MACHADO, C. do C. Tubarão 1974: Fatos e relatos da grande enchente. Tubarão, SC: UNISUL, 2005. 203 p.
MAUCH, C. Introduction. In: MAUCH, C.; PFISTER, C. (Orgs.). Natural Disasters, Cultural responses: case studies toward a global environmental history. Plymouth: Lexington Books, 2009. p. 1-16.
NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da PUC-SP, São Paulo, v. 10, n. 7-28, dez.1993.
OLIVER-SMITH, A. What is a Disaster. In: OLIVER-SMITH, A.; HOFFMAN S. M. (Org.). The Angry Earth: Disaster in Anthropological Perspective. London: Routledge, 1999. p. 18-34.
PEET, R. A Sign Taken for History: Daniel Shays Memorial in Petersham, Massachusetts. Annals of the Association of American Geographers, v. 86, v.1, p. 21-43, 1996.
PFISTER, C. The monster swallows you. Rachel Carson Center: Munich, 2011. 23 p.
PIPER, I. Investigación y acción política en prácticas de memoria colectiva. In: VINYES, R. (Org.). El Estado y la memoria: gobiernos y ciudadanos frente a los traumas de la historia. Barcelona: RBA, 2009. p. 151-172.
POLLAK, M. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.
RECHIA, S. Espaço e planejamento urbano na sociedade contemporânea: políticas públicas e a busca por uma marca identitária na cidade de Curitiba. Movimento, Porto Alegre, v. 11, n. 3, p. 49-66, set./dez. 2005.
ROSSI, A. A arquitetura da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1995. 308 p.
ROWNTREE, L.B.; CONLEY, M.W. Symbolism and the Cultural Landscape. Annals of the Association of American Geographers, v. 70, n. 4, p. 459-479, 1980.
SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1997. 308 p.
SEDREZ, L. F. Desastres socioambientais, políticas públicas e memória. In: NODARI, E. S.; CORREA, S. M. de S. Migrações e Natureza. São Leopoldo: Oikos, 2013. p. 185-202.
SILVA, H. R. da. “Rememoração”/comemoração: as utilizações sociais da memória. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 22, n. 44, p. 425-438, 2002. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2015.
SMITH, G. Planning for Post-Disaster Recovery. Washington, DC: Island Press, 2012. 456 p.
THEIS, L. Jeux et enjeux commémoratifs. Le Débat, Paris, n. 104, p. 35, mar.-abr. 1999.
TUBARÃO. Lei nº 3.289, de 12 de maio de 2009. Institui o Dia Municipal de Memória da Catástrofe de 1974. 2009.
ULLBERG, S. La mémoire de la catastrophe et des lieux. In: ZENOBI, D.; ULLBERG, S.; SILVA, T. C. Traces: memoires et politiques des désastres en Amérique Latine. Paris: L’Harmattan, 2016. p. 17-35.
VELHO, G. A utopia urbana: um estudo de antropologia social. Rio de Janeiro: Zahar, 2002. 124 p.
VETTORETTI, A. História de Tubarão: das origens ao século XX. Tubarão, SC: INCOPEL, 1992. 426 p.
VIGH, H. Crisis and Chronicity. Ethnos, v. 73, n. 1, p. 5-24, 2008.
WOORTMANN, E. F. Identidades e Memória entre Teuto-Brasileiros. Horizontes Antropológicos, Porto
Alegre, v. 6, n. 14, p. 205-238, 2000.
ZICMAN, R. B. História através da imprensa: algumas considerações metodológicas. Projeto História.Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História, São Paulo, n. 4, p. 89-102, 1985.
Published
17/01/2018
How to Cite
ASSUNÇÃO, Viviane Kraieski de. MEMORIES OF THE FLOOD OF 1974 AND THE PRODUCTION OF SPACE IN TUBARÃO (SC). Mercator, Fortaleza, v. 17, jan. 2018. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/2060>. Date accessed: 07 aug. 2020. doi: https://doi.org/10.4215/rm2018.e17001.
Section
ARTICLES

Keywords

enchente; memória; produção social do espaço; monumentos