EVOLUÇÃO DE BACIAS DE BAIXA ORDEM NOS 41.000 ANOS AP – BRASIL MERIDIONAL (low-order basins evolution during 41,000 years bp - southern Brazil)

  • Julio Cesar Paisani Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Francisco Beltrão (PR)
  • Marga Eliz Pontelli Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Francisco Beltrão (PR)
  • Marcia Regina Calegari Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Francisco Beltrão (PR)

Abstract

Apresenta-se evolução de bacias de baixa ordem hierárquica no Planalto de Palmas/Água Doce (sul do Brasil) nos 41.000 anos AP a partir de registros de seção estratigráfica. Descreveu-se unidades litológicas e pedológicas, análise micromorfológica e datação pelo 14C. Identificaram-se unidades litológicas fácies aluvial, colúvio-aluvial, coluvial e tecnogênica; e duas unidades pedológicas (Neossolos). Conclui-se que no final do Pleistoceno Superior, sobretudo nos EIM 3 e 2, o sistema fluvial de baixa ordem hierárquica e o ambiente de encosta se encontravam em equilíbrio dinâmico, registrando apenas um pulso de morfogênese. Nesse período o fundo de vale apresentou agradação e desenvolvimento de Neossolo flúvico, em fase com paleossolos similares nas proximidades, atestando estabilidade morfogenética de cunho regional. Na passagem para o Holocêno ocorreu intensa morfogênese das encostas e colmatação dos fundos de vale das bacias de baixa ordem, perdurando até cerca de 1.000 anos AP. Coincidindo com esta fase o divisor de águas regional migra para Norte, com desmantelamento das bacias de 1ª ordem do rio Chapecózinho (PR), rehierarquização da rede de drenagem e inversão de relevo. 


Palavras-chave: Paleocanal, Colúvio, Paleossolos, Inversão de relevo, Quaternário continental.

ABSTRACT

The article presents the low-order drainage basins evolution in Palmas/Agua Doce plateau (South of Brazil) during the last 41,000 years B.P from the registers of stratigraphic section (HS1). Lithological and pedagogical units, micromorphological analysis and dating by 14C were described. Alluvial facies lithologic, colluvial/alluvial, colluvial and tecnogenic units were identified; and two pedologycal units (which composed the Entisols). It was possible to conclude that at the end of Upper Pleistocene, especially in MIE 3 and 2, the low hierarchy fluvial system and the slope environment were in dynamic equilibrium, registering just a morphogenesis input. During this period the bottom of valley presented aggradation and development of Fluvisol, in accordance with similar paleosoils nearby, certifying a morphogenetic stability phase in the region. During the transition to the Holocene there was intense morphogenesis from the slopes and catchments aggradation in the bottom of valleys of the low-order basins, extending to about 1,000 years BP. Coinciding with this phase the regional watershed migrates to the North, with consequent dismantling of the 1st order basins of Chapecózinho (PR) river hydrographic system, new hierarchy drainage network and relief inversion.

Keyords: Palaeochannel, Colluvium, Palaeosoil, Relief inversion, Continental Quaternary.

RESUMEN

Presentase la evolución de cuencas de bajo orden jerárquico en el Planalto de Palmas/Água Doce (Sur de Brasil) en los últimos 41.000 años A.P. a partir de los registros de la sección estratigráfica HS1. Se hizo la descripción de unidades litológicas y edáficas, análisis micromorfológico y dataciones radiocarbónicas. Se identificaron unidades litológicas facies aluvial, coluvión-aluvial, coluvión y tectogénica, además de dos unidades edáficas constituidas de suelos someros (Leptosol). Se concluye que a lo largo del periodo final del Pleistoceno Superior, sobre todo en los EIM 3 y 2, el sistema fluvial de bajo orden jerárquico y el ambiente de ladera se presentaban en equilibrio dinámico, apuntando a la ocurrencia de solo un evento de morfogénesis. En este período la base del valle pasó por fase de acumulación de sedimentos y de desarrollo de Fluvisoles, muy similares a los paleosuelos semejantes encontrados en otras localizaciones cercanas, señalando la existencia de una fase de estabilidad morfogenética de ámbito regional. En la transición para el Holoceno, hubo fase de morfogénesis muy intensa en las pendientes y acumulación en los fondos de valles de las cuencas de baja orden que se mantuvo hasta cerca de 1.000 anos A.P. En esta misma fase tuvo lugar el proceso de migración del interfluvio regional hacia el norte, resultando en desorganización de las cuencas de 1ª orden del sistema hidrográfico del Río Chapecozinho (PR), nueva jerarquización de la red de drenaje y la inversión del relieve

Palabras-claves: Paleoincisión, Coluvión, Paleosuelo, Inversión del relieve, Cuaternario continental.


DOI: 10.4215/RM2012.1126.0009

 

 

 

Author Biographies

Julio Cesar Paisani, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Francisco Beltrão (PR)
Doutor (2004) em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina. É professor Associado da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) e coordena o Lab. Microscopia Ótica da UNIOESTE. Atualmente é consultor científico da Fundação Araucária (Apoio ao Desenv. Científico e Tecnológico do Paraná) e das revistas científicas: Quaternary International (Elsevier), Pesquisas em Geociências (UFRGS), Revista Brasileira de Geomorfologia (UGB), Terra Plural (UEPG), Ambiência (UNICENTRO), Boletim de Geografia (UEM) e Perspectiva Geográfica (UNIOESTE). Tem experiência na área de Meio Ambiente (Geociências) atuando, principalmente, nos seguintes temas: micromorfologia de sedimentos e paleossolos, cabeceiras de drenagem, hidrologia de encosta, processos erosivos, depressões fechadas, formações superficiais, superfícies aplainadas e Quaternário.
Marga Eliz Pontelli, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Francisco Beltrão (PR)
Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2005). Atualmente é professora adjunta da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, atuando nos cursos de Graduação em Geografia (Bacharelado e Licenciatura) e no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Unioeste - Campus de Francisco Beltrão. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia, principalmente nos seguintes temas: pedomorfoestratigrafia, gênese e evolução de solo e relevo, mapeamento geomorfológico, cartografia de riscos geomorfológicos.
Marcia Regina Calegari, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Francisco Beltrão (PR)
Doutora em Solos e Nutrição de Plantas pela Escola Superior de Agricultura ";Luiz de Queiroz"; - ESALQ/USP (2009). É professora no Colegiado de Geografia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Campus Marechal Cândido Rondon) . Tem experiência em análise de assembléia de fitolitos aplicado a estudos ambientais (reconstrução paleoambiental), também atua na área de Geociências, com ênfase em Pedologia, principalmente nos seguintes temas: genese de solo, análise estrutural da cobertura pedológica e morfopedologia.
Published
15/10/2012
How to Cite
PAISANI, Julio Cesar; PONTELLI, Marga Eliz; CALEGARI, Marcia Regina. EVOLUÇÃO DE BACIAS DE BAIXA ORDEM NOS 41.000 ANOS AP – BRASIL MERIDIONAL (low-order basins evolution during 41,000 years bp - southern Brazil). Mercator, Fortaleza, v. 11, n. 26, p. 131 a 148, oct. 2012. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/605>. Date accessed: 07 aug. 2020.
Section
ARTICLES

Keywords

paleocanal; colúvio; paleossolos; inversão de relevo; Quaternário continental