LIFE NARRATIVES OF SETTLERS IN THE ARINOS VALLEY PROJECT

  • Gildete Evangelista Silva Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Abstract

 

This text deals with the colonization, agrarian reform and rural settlement projects in Mato Grosso. Thus, the main objective was to use the life stories and narratives of the participants in the research on the Arinos Valley Settlement Project to understand their feelings upon arriving at the settlement, their individual and collective life experiences, the dreams, struggles and challenges they underwent in their pursuit of possession of their lot of land in the context of rural settlement. The study is based on the assumptions of the qualitative research method associated with the life stories and narratives of twelve settlers; the selection criterion was that they were the original inhabitants of the settlement. The research data indicate that the narratives expressed in the settler’s voices show, on the one hand, their satisfaction and joy regarding the opportunity to fulfill their dream of achieving their own lots of land to guarantee family production. On the other hand, that there are also problems inherent in the neglect and / or lack of commitment of the public authorities, which have not provided the settlers with the basic infrastructure recommended in agrarian reform policies for rural settlements.

Keywords: Rural settlements, Colonization, Life stories, Narratives.

Author Biography

Gildete Evangelista Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional pela Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da região do Pantanal (UNIDERP) de Campo Grande-MS (2017). Professor Adjunto da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT na área de Finanças e Orçamentos. Consultor da CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior para monitoramento de Pólos de Apoio presencial do Sistema UAB - Universidade Aberta do Brasil. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração de Empresas, atuando principalmente nos temas estrutura organizacional, análise de cargos e função, controle de risco e inadimplência, gestão financeira, capital de giro e fluxo de caixa.

References

RAUJO, M. S. S. Desenvolvimento e militarismo na Amazônia. In. GARCIA, D. S. C.; MICELI, P. C. (Org.). História e fronteira. Cáceres-MT: UNEMAT Editora, 2014. 223p.
BARROZO, J. C. Políticas de colonização: as políticas públicas para a amazônia e o centro-oeste. In. BARROZO, J. C. (Org.). Mato Grosso do sonho à utopia da terra. Cuiabá: EdUFMT/Carlini & Caniato Editorial, 2008. 336p.
BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto Editora: Portugal, 1994. 336p.
BRASIL, Lei 4.504, de 30 de novembro de 1964. Dispõe sobre o Estatuto da Terra, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, Seção 1 - Suplemento – de 30/11/1964, p. 49.
BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Distribuição dos incentivos fiscais aprovados por estado (2007 a 2015). Disponível em Http://www.suadam.gov.br/index.phpqincentivos-fiscais. Acesso em 02.03.2017.
CASTRO, S. P.; BARROZO, J. C.; COVEZI, M.; PRETI, O. A colonização Oficial em Mato Grosso: a nata e a borra da sociedade. 2. ed. Cuiabá: EdUFMT/NERU, 2002, 236p.
DATA LUTA. Núcleo de estudos, Pesquisas e Projetos da Reforma Agrária. Relatório 2012. http://www2.fct.unesp.br/nera/boletim.php. Acesso em 30.05.2017.
GALEANO, E. A. V.; MATA, H. T. C. Diferenças regionais no crescimento econômico: uma análise pela teoria do crescimento endógeno. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 40, n. 4, p. 669-684, 2009.
GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. - São Paulo: Atlas, 2008. 131p.
GOODSON, I. F.; BIESTA, G.J. J. G.; TEDDER, M.; ADAIR, N. Narrative learning. London; New York: Routledge, 2010. 137p.
GOODSON, I. F.; BIESTA, G.J. J. G.; TEDDER, M.; ADAIR, NGILL, S. R. Narrative pedagogy: life history and learning. New York: Peter Lang, 2011.174p.
GRAZIANO DA SILVA, J. F. Para entender o plano nacional de reforma agrária. 2. ed. São Paulo: Editora Brasiliense S.A, 1985. 103p.
INCRA – Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Assentamentos. Disponível em: http://www.incra.gov.br/assentamento. Acesso em: 23 mar. 2016.
IOKOI, Z. M. G., ANDRADE, M. O.; REZENDE, S.; RIBEIRO, S. (Org.)Vozes da terra: histórias de vida dos assentados rurais de São Paulo. São Paulo: Fundação Itesp, 2005. 256p.
LÜDKE, M.; ANDRE, M. E. D. A. Pesquisa em educação. São Paulo: EPU, 1986. 99p.
MARTINS, J. S. Fronteira: a degradação do outro nos confins do humano. São Paulo: Contexto, 2009. 191p.
MILES, M. B; HUBERMAN, A. M. Análise de dados qualitativos: uma expansão livro de fontes. 2. ed. Londres: Sage. 1994. 248p.
MORENO, G. Terra e poder em Mato Grosso: política e mecanismos de burla – 1892-1992. Cuiabá-MT: Entrelinhas: EdUFMT, 2007. 310p.
OLIVEIRA, F. Crítica à razão dualista. O Ornitorrinco. São Paulo: Boitempo Editorial, 2003, 150p.
OLIVEIRA, A. U. Modo de produção capitalista, agricultura e reforma agrária. São Paulo: FFLCH, 2007, 184p.
PAULILO, M. A. S. A pesquisa qualitativa e a história de vida. Serv. Soc. Ver. Londrina, V. 2, p-135-148, Jul./Dez. 1999. Portal do Brasil. Economia e emprego. Disponível em:
http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2015/07/agricultura-familiar-produz-70-dos-alimentos-consumidos-por-brasileiro. Acesso em: 10 jun. 2017.
PORTELI, A. O que faz a história oral diferente. In: Cultura e representação. São Paulo: Projeto História, n.14. Fev. 1997. p.25-39.
RANIERI, S. B. L., Retrospecto da reforma agrária no mudo e no Brasil. In. SPAROVEK, Gerd. A qualidade dos assentamentos da reforma agrária brasileira. São Paulo: Páginas e Letras Editora e Gráfica, 2003. 205p.
SILVA, A. C. F. Nas trilhas da memória: uma colônia japonesa no norte de Mato Grosso – Gleba Rio Ferro (1950-1960). Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2004.
SILVA, R.; SATO, M. Territórios e identidade: mapeamento dos grupos sociais do estado de mato Grosso – Brasil. Revista Ambiente e Sociedade, Campinas, n. 2, p. 261-281, 2010.
SOUZA, E. A. História de Sinop: sociedade imobiliária noroeste do Paraná. In: BARROZO, J. C. (Org.). Mato Grosso do sonho à utopia da terra. Cuiabá: EdUFMT/Carlini & Caniato Editorial, 2008. 336p.
SOUZA, E. A. de. O poder na fronteira: hegemonia, conflitos e cultura no norte de Mato Grosso. Cuiabá: EdUFMT, 2013. 251p.
SPAROVIK, G. A qualidade dos assentamentos da reforma agrária brasileira. São Paulo: Páginas & Letras Editora e Gráfica, 2003. 204p.
STEDILE, J. P. A questão agrária no Brasil: o debate tradicional - 1500-1960. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 201p.
Published
25/05/2018
How to Cite
SILVA, Gildete Evangelista. LIFE NARRATIVES OF SETTLERS IN THE ARINOS VALLEY PROJECT. Mercator, Fortaleza, v. 17, may 2018. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/e170011en>. Date accessed: 29 mar. 2020. doi: https://doi.org/10.4215/rm2018.e17011.
Section
ARTICLES