TERRITORIALITY OF TRADITIONAL SITIANTES IN THE STATE OF SÃO PAULO

Abstract


Traditional farmers appropriate land and manage their territories through knowledge adapted to local ecosystems, adopting communal practices and customary rules linked to values common to the traditional way of life. The material and cultural reproduction of these groups is based on a strong condition of territorial autonomy on various scales, in a complex network of reciprocity and on the availability of land. From this perspective, through a case study, this work analyzes the process of transformation of the territoriality of a group facing the emergence of contemporary society. Several adaptive strategies were found in economic, political, ecological, demographic and religious contexts. Values play a decisive role in the definition of all these. It was observed that the economic strategy is the first to be triggered, with significant losses to the traditional technological stock, including knowledge about the use and management of biodiversity.

Keywords: Caipira culture; Conservation units; Cultural adaptation; Territorial conflict.

Keywords: Caipira culture; Conservation units; Contemporary society; Territorial conflict.

Author Biography

Cristina de Marco Santiago, Instituto Florestal de São Paulo,São Paulo (SP)

Doutora em Geografia pela Universidade de São Paulo (2010). Sua experiência profissional está relacionada ao planejamento e gestão de áreas naturais legalmente protegidas e de importância histórico-cultural. Atualmente é pesquisadora científica do Instituto Florestal de São Paulo e se dedica ao estudo do manejo de áreas silvestres, com ênfase para as temáticas: planejamento territorial, comunidades tradicionais e políticas públicas de conservação da natureza.

References

BERLINCK, M. T.. Algumas considerações sociológicas sobre as religiões no Brasil. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros (USP), no 12, p. 139-161, 1972.
CANDIDO, A. Os parceiros do Rio Bonito. São Paulo: Editora Livraria Duas Cidades, 2003.
CARNEIRO, M. J. Herança e gênero entre agricultores familiares. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, 2001, vol. 9, no 1, p. 22-55.
CLAVAL, P. A geografia cultural. In: ROSENDAHL, Z.; CORRÊA, R. L. (org.). Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: Ed. Univ. do Estado do Rio de Janeiro, 1999.
CLEMENT, C R.; ROCHA, S. F. R.; COLE, D. M.; VIVAN, J. L. Conservação on farm. In: NASS, L. L. (ed.). Recursos genéticos vegetais. Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2007.
DEMATTEIS, G. O território. In: SAQUET, M. A. Abordagens e conceitos de território. São Paulo: Expressão Popular, 2007.
DEMATTEIS, G.; GOVERNA, F. Territorio y territorialidad en el desarrollo local. Boletín de la A.G.E. n.º 39, p.31-58, 2005,
FUKUI, L. F. G. Parentesco e família entre sitiantes tradicionais. Tese Doutorado. São Paulo: Universidade de São Paulo/Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 1972.
GODOI, E. O trabalho da memória. Campinas: Unicamp, 1999.
HAESBAERT, R. Território e multiterritorialidade. GEOgraphia, vol. 9, no 17. Niterói: 2007.
HAESBAERT, R. Muros, “campos” e reservas. In: BORZACIELLO, J. da S.; LIMA, L. C.; ELIAS, D. (org.). Panorama da geografia brasileira I. São Paulo: Annablume, 2006.
HAESBAERT, R. O mito da Desterritorialização. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.
HAESBAERT, R. Des-territorialização e identidade. Rio de Janeiro: EDUFF, 1997.
HAESBAERT, R.; LIMONAD, E. O território em tempos de globalização. Etc., espaço, tempo e crítica - Revista Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas e outras coisas, vol. 1, no 2 (4), 2007.
HERMANN, L. Ciclos econômicos e padrões socioculturais na evolução de Guaratinguetá. In: FERNANDES, F. (org.). Comunidade e sociedade no Brasil. São Paulo: Ed. da USP, 1970.
IF - INSTITUTO FLORESTAL (São Paulo). Processo IF nº 76.905 de 1973: Procuradoria Geral do Estado encaminha planta pedindo providências do IF, por estar em fase final processo visando legitimação de posses no 2º Perímetro de São Roque. Dossiê da Reserva Estadual do 2º Perímetro de São Roque, 1973, fls. 26-33.
LOPES, J. R. B. Desenvolvimento e mudança social. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesq. Sociais, 2008.
LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. A. Pesquisa em educação. São Paulo: EPU, 1986. 99 p.
MARTINS, J. de S. Fronteira. São Paulo: Hucitec, 1997. 213 p.
MARTINS, J. de S. Capitalismo e tradicionalismo. São Paulo: Pioneira, 1975.
MMA (Ministério do Meio Ambiente). Agrobiodiversidade e diversidade cultural. Brasília: MMA/SBF, 2006.
MONBEIG, P. O crescimento da cidade de São Paulo. In: SZMRECSÁNYI, T. (org.). História econômica da cidade de São Paulo. São Paulo: Globo, 2004.
MORAES, R. Uma tempestade de luz. Ciência & Educação, vol. 9, nº 2, p. 191-211, 2003.
MOURA, M. M.. Camponeses. São Paulo: Ática, 1986.
MOURA, M. M. Os herdeiros da Terra. São Paulo: Hucitec, 1978.
MÜLLER, A. R. Ritos caboclos no estado de São Paulo, Brasil. São Paulo: Ed. Escola de Sociologia e Política de São Paulo/USP, 1956.
MUSSOLINI, G. Persistência e mudança em “comunidades de Folk”. In: FERNANDES, F. (org.). Comunidade e sociedade no Brasil. São Paulo: Ed. da USP, 1970. p. 73-80.
PELWING, A. B.; FRANK, L. B.; BARROS, I. I. B. de. Sementes crioulas. Rev. Econ. Sociol. Rural. Piracicaba: Soc. Bras. de Economia e Sociologia Rural, vol. 46, nº 2, 2008,
PETRONE, P. Aldeamentos paulistas. São Paulo: Edusp, 1995.
PRADO JÚNIOR, C. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 1976.
QUEIROZ, M. I. P. de. O campesinato brasileiro. Petrópolis: Vozes; São Paulo: Edusp, 1973a.
QUEIROZ, M. I. P. de. Um exemplo de decadência e de adaptação de bairros rurais a uma nova realidade. In: QUEIROZ, M. I. P. de. Bairros rurais paulistas. Petrópolis. São Paulo: Liv. Duas Cidades, 1973b.
QUEIROZ, M. I. P. de; FUKUI, L. F. G. O sitiante brasileiro e as transformações de sua situação sócio-econômica. Cadernos do Centro de Estudos Rurais e Urbanos (FFLCH/USP), nº 1, p. 111-154, 1968.
RIBEIRO, D. O povo brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
SAHLINS, M. Sociedades tribais. Rio de Janeiro: Zahar, 1970. 179 p.
SANTIAGO, C. de M. Território caipira, território de conservação. Scripta Nova Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales. Barcelona: Universidad de Barcelona, vol. XVII, nº 449, 2013.
SANTOS, M. A urbanização pretérita. In: A urbanização brasileira. São Paulo: Hucitec, 1993. p. 17-27.
SANTOS, M. Uma palavrinha a mais sobre a Natureza e o conceito de espaço. In: Espaço e método. São Paulo: Nobel. 1985.
SAQUET, M. A.. Por uma abordagem territorial. In: SAQUET, M. A.; SPOSIO, E. S. (orgs.). Territórios e territorialidades. São Paulo: Expressão Popular, 2009. p. 73-94.
SEABRA, M. Vargem Grande. São Paulo, 1971, 229 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 1971.
SHANIN, T. Lições camponesas. In: PAULINO, E. T.; FABRINI, J. E. (orgs.). Campesinato e territórios em disputa. São Paulo: Expressão Popular, 2008. p. 23-47.
SILVA, W. R. da. Reflexões em torno do urbano no Brasil. In: SPOSIO, E. B.; WHITACKER, A. M. (orgs.). Cidade e campo. São Paulo: Expressão Popular, 2006. p. 65-80.
SOUZA, M. de. Território da divergência (e da confusão). In: SAQUET, M. A.; SPOSITO, E. S. (orgs.). Territórios e territorialidades. São Paulo: Expressão Popular, 2009.
TEIXEIRA, C. P. O pentecostalismo em contextos de violência. Monografia de conclusão do Curso (Ciências Sociais), 2006. 58 p. Rio de Universidade Estadual do Rio de Janeiro, 2006.
TOLEDO, A. M.; SANTILLI, J.; MAGALHÃES, R. A agrobiodiversidade com enfoque agroecológico. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2008. 98 p.
TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1995. 175 p.
WOLF, E. R. Sociedades camponesas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.
WOORTMANN, E. F. Herdeiros, parentes e compadres. São Paulo/DF: Hucitec/Ed. UnB, 1995.
WOORTMANN, K. “Com parente não se neguceia”. Anuário Antropológico, vol. 87, p. 11-69, 1990.
Published
14/08/2018
How to Cite
SANTIAGO, Cristina de Marco. TERRITORIALITY OF TRADITIONAL SITIANTES IN THE STATE OF SÃO PAULO. Mercator, Fortaleza, v. 17, aug. 2018. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/e17017>. Date accessed: 07 aug. 2020. doi: https://doi.org/10.4215/rm2018.e17017.
Section
ARTICLES

Keywords

cultura caipira; unidades de conservação; sociedade contemporânea; conflito territorial.