OLYMPIC CRISIS, ENVIRONMENTAL CRISIS

THE CONSTRUCTION OF SUSTAINABILITY IN THE CONTEMPORARY OLYMPIC GAMES

Abstract

Over the last four decades, Olympic urbanism has been constantly evolving, producing increasingly onerous large-scale urban projects with high visibility impacts on social and environmental issues in each host city. This article aims to reflect on the nature and the limits of the adoption of the concept of sustainability by contemporary Olympic projects and as a consequence understand the environmental dimension of the ongoing Olympic crisis. To this end, we will investigate: [1] the idea of sustainability from urban geography; [2] the congruencies of the Olympic crisis and the environmental crisis; and, finally, the [3] adoption of sustainability at the 2016 Summer Olympics, which took place in the city of Rio de Janeiro.

Keywords: Olympics; Environmental crisis; Sustainability.

 

Author Biographies

Gilmar Mascarenhas, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro (RJ)

Professor Associado na Universidade do Estado do Rio de Janeiro onde atua desde 1992, em Geografia Urbana, e membro do quadro permanente do Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGEO-UERJ) desde sua criação em 2003, onde ministra a disciplina "Cidades: políticas e usos". Atuou por dois meses como Professor convidado na Université Michel de Montaigne - Bordeaux III em 2011. Possui doutorado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo (USP, 2001), com estágio na Universidad de Barcelona (1999-2000), e pós-doutorado em urbanismo de megaeventos na Université Paris I Panthéon-Sorbonne (2012-2013). Publicou diversos livros e artigos, com destaque para "Entradas e Bandeiras: a conquista do Brasil pelo futebol", indicado para a Feira de Frankfurt, 2014. Pesquisador associado no Laboratório ETTERN-IPPUR-UFRJ e membro da rede NEER (Núcleo de Estudos em Espaço e Representações). Membro de Corpo Editorial e parecerista de diversos periódicos (Estudos Históricos-CPDOC, Mercator, Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Esporte e Sociedade, E-metrópolis, Horizontes Antropológicos, GeoUERJ, Caderno Virtual de Turismo, dentre outros). Desenvolve pesquisas que envolvem território, cidade, cultura, cotidiano e planejamento urbano, inserindo neste campo de reflexões os esportes. Tem interesse em debates que envolvem cultura popular e apropriação de espaços públicos. Atualmente concentra-se em projeto (bolsista Prociência - FAPERJ) sobre os megaeventos esportivos: política urbana, conflitos e legado. Enquanto bolsista de Produtividade CNPq 2, coordena o projeto "Uma cidade, seu tempo e as muitas escalas: singularidades e legados dos Jogos Olímpicos Rio 2016". Líder e mentor do Grupo de Pesquisa Megaeventos Esportivos e Cidades.

Leandro Dias de Oliveira, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, Rio de Janeiro

Graduado em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Faculdade de Formação de Professores (UERJ-FFP, 1998-2001), Mestre em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ, 2004-2006) e Doutor em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, 2007-2011). Professor Adjunto III do Curso de Geografia da UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (Instituto de Agronomia - Departamento de Geociências), campus-sede, e docente do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO - UFRRJ), onde é responsável pela disciplina Reestruturação Espacial Contemporânea. Coordenador Institucional de Iniciação Científica [PIBIC-CNPq, PIBIC-Af, PIBIC-UFRRJ PIBIC-EM, PIBITI e PICV] e Coordenador de Área do PIBID Geografia 2014-2018, cujo projeto é intitulado A Geografia da Baixada Fluminense: Formação Docente e Práticas Educativas no Cotidiano Escolar. Gestor do Protocolo de Cooperação, na área da Geografia, entre a UFRRJ e a Universidade do Porto (U.PORTO), liderando a pesquisa Reestruturação Espacial e Desenvolvimento Regional: Um Estudo Comparativo entre a Região Norte de Portugal e o Estado do Rio de Janeiro. Idealizador e Coordenador do LAGEP - Laboratório de Geografia Econômica e Política, vinculado ao Departamento de Geografia da UFRRJ, e líder do Grupo de Pesquisa Reestruturação Econômico-Espacial Contemporânea. Coeditor e cofundador dos periódicos acadêmicos Espaço e Economia: Revista Brasileira de Geografia Econômica e Continentes: Revista do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFRRJ. Dedica-se às reflexões com ênfase em Geografia Humana, realizando investigações nos seguintes campos temáticos: Geografia Econômica e da Indústria - particularmente na análise da Reestruturação Territorial-Produtiva Fluminense -, Geografia Urbana, Geopolítica e a relação Sociedade-Natureza, destacadamente na análise da concepção do desenvolvimento sustentável em seus matizes teóricos e empíricos, com ênfase no exame dos relatórios Meadows [The Limits of Growth, 1972] e Brundtland [Our Common Future, 1987] e das Conferências de Estocolmo-1972, Rio 1992 e Rio + 20 [2012]

References

ACSELRAD, Henri (Org.). Justiça ambiental e cidadania. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004.
ACSELRAD, Henri (Org.). A duração das cidades. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009.
ACSELRAD, Henri. Discursos da Sustentabilidade Urbana. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais (1): 79-90, 1999. Acesso em: 25 de febrero de 2018. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=513952491010 . Acesso em: 20 de fevereiro de 2018.
BOYKOFF, J.Activism and the Olympics. New Jersey/London: Rutgers University Press, 2014.
BRAATHEN, E.; SORBOE, C. M.; MASCARENHAS, G. . BRICS, mega-sport events and Rio de Janeiro as a city of exception. Tensões Mundiais / World Tensions, v. 10, p. 348-362, 2014.
BROUDEHOUX, Anne-Marie. Spectacular Beijing: the Conspicuous Construction of an Olympic Metropolis. Journal of Urban Affairs, 29 (4), pp. 383-399, sep. 2007.
COMPANS, Rose. Cidades sustentáveis, cidades globais: antagonismo ou complementaridade. In: ASCELRAD, Henry (Org.). A duração das cidades. Rio de Janeiro, DP&A, 2001.
GOLD, J., GOLD, M. Olympic Cities. London & New York, Routledge, 2007.
GOMES, Victor Arouca. Maracanã sustentável: um estudo sobre a questão ambiental nos megaeventos esportivos. Espaço e Economia: Revista Brasileira de Geografia Econômica, Ano 4, Número 7, Jul./Dez. de 2015.
HOLZ, J-M. (org.) Les Jeux olympiques et leurs territories. Perpignan: Press Universitaires de Perpignan, 2011.
HORNE, John & WHANNEL, Garry. Understand the Olympics. New York: Routledge, 2012.
LENSKYJ, H. Olympic industry resistance. New York: State University of N. York Press, 2008.
LENSKYJ, H. Inside the Olympic Industry. Albany: State University of New York Press, 2000.
MIAH, A. e GARCÍA, B. The Olympics. London and New York, Routledge, 2012.
MASCARENHAS, Gilmar; OLIVEIRA, Leandro Dias de; PONTES, Jeferson. Alexandre Pereira. A Baía de Guanabara não é um Tema Olímpico. Continentes, v. 10, p. 69-86, 2017.
OLIVEIRA, Leandro Dias de. A Geopolítica do Desenvolvimento Sustentável: um estudo sobre a Conferência do Rio de Janeiro (Rio-92), 2011. 283 p. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas – SP, 2011.
SCHMITT, P. O Movimento Olímpico e o Meio Ambiente. In: DACOSTA, Lamartine; MIRANDA, Renato; TAVARES, Otávio. Esporte, Olimpismo e Meio Ambiente. Rio de Janeiro: Editora Gama Filho, 2002. Disponível em: http://www.intaead.com.br/ebooks1/livros/ed%20fisica/01.%20Esporte%20Olimpico.pdf. Acesso em: 05 de março de 2016.
SHORT, J. R. Globalization, cities and the Summer Olympics. City, 12(3), 321-340, 2008
SHORT, J. R. We should host the Olympics in the same place every time. Washington Post (july, 28, 2015). Disponível em: https://www.washingtonpost.com/posteverything/wp/2015/07/28/we-should-host-the-olympics-in-the-same-place-every-time/ Acesso em: 10 de fevereiro de 2018.
SWYNGEDOUW, Erik. A cidade como um híbrido: natureza, sociedade e “urbanização-cyborg”. In: ACSELRAD, Henri (org.). A duração das cidades. Rio de Janeiro: D, P & A, 2001.
Published
14/08/2018
How to Cite
MASCARENHAS, Gilmar; OLIVEIRA, Leandro Dias de. OLYMPIC CRISIS, ENVIRONMENTAL CRISIS. Mercator, Fortaleza, v. 17, aug. 2018. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/e17018>. Date accessed: 14 dec. 2018. doi: https://doi.org/10.4215/rm2018.e17018.
Section
ARTICLES