ENVIRONMENTAL ANALYSIS THROUGH NETWORK GRAPHICS

Abstract

This article aims to discuss the erosive problem of the high basin of Areia Dourada stream, Marabá Paulista
(SP), through a joint evaluation of the erosive forms with the physical and anthropic variables. From the
methodological principles, we analyzed the information of lithology, soils, relief forms and relief energy,
identifying the restriction to the use, conceived from the potential for erosion of the evaluated variables.
This restriction was analyzed in conjunction with land use, making it possible to identify the compatibility
and incompatibility relationship of the current use with the physical characteristics of the grounds and the
erosive forms. This information was worked together from network graphics. As a result, we obtained
a synthesis of the complexity between the combinations of the physical and anthropic variables, which
allowed to indicate the forcing elements of the system, catalysts of the erosive processes, the mechanisms
by which the processes evolve and the grounds subject to erosion, in case the current conditioners remain.

Keywords: Physical characteristics; Land use, Forcing the system; Erosive processes.

Author Biographies

Felipe Augusto Scudeller Zanatta, Universidade Estadual Paulis, Rio Claro (SP), Brasil

Possui graduação em Licenciatura (2009) e Bacharelado (2010) em Geografia pela FCT Unesp, campus Presidente Prudente. Mestre (2014) e Doutor (2018) em geografia pelo IGCE/UNESP, campus de Rio Claro. Tem experiência em geomorfologia, cartografia temática, erosão do solo e aplicação da legislação ambiental. Doutorando em Geografia pelo IGCE,/UNESP, Campus de Rio Claro.

Cenira Maria Lupinacci, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente (SP), Brasil.

Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1993), mestrado em Geografia (1997), doutorado em Geociências e Meio Ambiente pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001) e livre docência em Geomorfologia. Atualmente é professora doutora da Universidade Estadual Paulista - Júlio de Mesquita Filho. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geomorfologia, atuando principalmente nos seguintes temas: geomorfologia, cartografia geomorfológica, erosão e planejamento ambiental.

Marcos Norberto Boin

Possui graduação em Geologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1975) e doutorado em Geociências e Meio Ambiente pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2000). Experiência em prospecção mineral nos anos 1970, na DOCEGEO. Experiência no ensino superior, na Fundação Universidade Federal de Mato Grosso em Cuiabá, com aulas no Curso de Geologia, no final da década de 1970. No Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo ? IPT, na primeira metade da década de 1980, onde desenvolveu pesquisa mineral em granitos. Do ano de 2002 a 2014, trabalhou como Assistente Técnico de Promotoria no Ministério Público do Estado de São Paulo e de 2008 a 2015 na Universidade do Oeste Paulista UNOESTE, nos cursos de graduação em Geografia, Biologia, Química, Tecnólogo em Produção Sucroalcooleira e Turismo .

References

BRASIL. Constituição (1988): Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: . Acesso em: 25 de abr. de 2015.
BRASIL. Câmara dos deputados. Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215 de 2000. Disponível em: < http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=889041>. Acesso em: 24 de abr. de 2015.
BRASIL, Lei 12.651, de 25 de maio de 2012. Institui o novo Código Florestal. [2012] Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2015.
BRASIL. Câmara dos deputados: Frente Parlamentar Agropecuária (FPA). Deputados e senadores ligados ao agronegócio. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2015.
BOIN, M. N.; ZANATTA, F.A.S; CUNHA, C.M.L. Avaliação da morfometria do relevo da alta bacia hidrográfica do ribeirão Areia Dourada, Marabá Paulista (SP). Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, v.2, p. 5-26, 2014.
CARVALHO, W. A. (coord.) Levantamento semidetalhado dos solos da bacia do rio Santo Anastácio-SP. Presidente Prudente, São Paulo: FCT-UNESP, 1997, v.1 e v.2.
FAO (FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS) . Status of the World’s Soil Resources. Roma: Food and Agriculture Organization Nations, 2015.
FERRARI LEITE, J. A ocupação do Pontal do Paranapanema. São Paulo: HUCITEC, 1998. 202f.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manual técnico de uso da terra. Rio de Janeiro: IBGE, 2006. 171p.
LEAL, A. C. Meio Ambiente e Urbanização na microbacia do Areia Branca – Campinas, SP. 152p. Dissertação (Mestrado em Geociência e Meio Ambiente), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 1995.
MATEO-RODRIGUEZ, J.M.; SILVA, E. V.; CAVALCANTI, A. O. B. Geoecologia das paisagens: uma visão geossistêmica da análise ambiental. Fortaleza: Editora UFC, 2004.
MONBEIG, P. Pioneiros e Fazendeiros de São Paulo. São Paulo: HUCITEC, 1984. 392f.
PORTO-GONÇALVES, C. W. Geografia da riqueza, fome e meio ambiente: pequena contribuição crítica ao atual modelo agrário/agrícola de uso dos recursos naturais. Florianópolis: INTERthesis, v. 1, n.1, 2004.
PORTO-GONÇALVES, C. W.; ALENTEJANO, P. R. R. A violência do latifúndio moderno-colonial e do agronegócio nos últimos 25 anos. Comissão Pastoral da Terra: Conflitos no Campo Brasil, v. 1, p. 109-117, 2019.
PORTO-GONÇALVES, C. W. Amazônia, Amazônias. 3ª edição. São Paulo: Contexto, 2012. 177f.
SAMPAIO, P. A. Proposta de Plano Nacional de Reforma Agrária. Revista da Associação Brasileira de Reforma Agrária. São Paulo, n. 1, v. 32, 2005.
SILVA, E.V.; MATEO-RODRIGUEZ, J.M.M. Planejamento e zoneamento de bacias hidrográficas: a geoecologia das paisagens como subsídio para uma gestão integrada. Caderno Prudentino de Geografia. Presidente Prudente, n.36, v. especial, p.4-17, 2014.
STEIN, D. P. Avaliação da degradação do meio físico. Bacia do rio Santo Anastácio. Oeste Paulista. 197p. Tese (Doutorado em Geociências e Meio Ambiente), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 1999.
THOMAZ JR, A. Dinâmica geográfica do trabalho no século XXI: Limites explicativos, autocrítica e desafios teóricos. 503p. Tese (Livre-docência). Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2009.
TRICART, J. Principes et méthodes de la géomorphologie. Paris: Masson, 1965, 496f.
ZANATTA, F.A.S. Diagnóstico visando planejamento ambiental da alta bacia do ribeirão Areia Dourada, Marabá Paulista (SP). 142p. Dissertação (Mestrado em Geografia – Organização do Espaço). Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2014.
ZANATTA, F.A.S.; LUPINACCI, C. M.; BOIN, M. N. O uso da terra e alterações do relvo na alta bacia do ribeirão Areia Dourada, Marabá Paulista (SP): um estudo a partir de princípios da antropogeomorfologia. Revista Brasileira de Geomorfologia. São Paulo, v.16, n.1, p.03-17, 2015.
ZANATTA, F.A.S.; LUPINACCI, C.M.; BOIN, M.N. Geoecologia da paisagem x Legislação ambiental: uma análise da distribuição espacial das restrições ao uso da terra frente à problemática erosiva da alta bacia do ribeirão Areia Dourada, Marabá Paulista (SP). Sociedade & Natureza. Uberlândia, 28 (1), p.21-37, 2016.
Published
18/10/2018
How to Cite
ZANATTA, Felipe Augusto Scudeller; LUPINACCI, Cenira Maria; BOIN, Marcos Norberto. ENVIRONMENTAL ANALYSIS THROUGH NETWORK GRAPHICS. Mercator, Fortaleza, v. 17, oct. 2018. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/e17024>. Date accessed: 29 mar. 2020. doi: https://doi.org/10.4215/rm2018.e17024.
Section
ARTICLES

Keywords

Estado Geoecológico; problemática erosiva; uso inadequado