SPATIAL DIMENSION OF RELIGIOUS EXPERIENCE

Abstract

This article discusses the spatial dimension of the religious experience between candomblecistas and evangelicals, which involves these agents’ spatial practices and equally, their representations of space. This is done by establishing a parallel between Mythical Geography and Prophetic Geography with Candomblé (Terreiro do Cobre) and Neo-Pentecostalism (Universal Church of the Kingdom of God), respectively. These geographies (Mythical and Prophetic) were described by Dardel (2015) and express various ways of human beings relating to the Earth. It is these modes of relationship with space - synthesized in the concept of geographicity - that are discussed based on distinct creeds in which different ways of perceiving, representing and acting in reality are presented through two symbolic forms (CASSIRER, 1994), that of myth - which substantiates a Mythical Geography - and that of religion - which in turn gives rise to a Prophetic Geography.

Keywords: Mythical Geography and Prophetic Geography; symbolic form; geographicity; Terreiro do Cobre and Universal Church of the Kingdom of God.

Author Biography

Caê Garcia Carvalho, Federal University of Bahia (UFBA)

Bacharel e licenciado em Geografia pela Universidade Federal da Bahia (2014). Mestre pela mesma instituição (2016). Trabalha com a Geografia Cultural, Geografia Regional e Geografia da Religião.

References

AMATUZZI, M. O desenvolvimento da representação na religião. In: PAIVA, G.; ZANGARI, W. (Orgs.) A representação na religião: perspectivas psicológicas. São Paulo: Edições Loyola, 2004. p. 98-104.
BELZEN, J. Cultura, religião e self-dialógico. Raízes e caráter de uma Psicologia Cultural Secular da Religião. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 9, n. 4, p. 30-52, dez. 2009[a].
BELZEN, J. Psicologia Cultural da Religião: perspectivas, desafios, possibilidades. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 9, n. 4, p. 1-29, dez. 2009[b].
BELZEN, J. Para uma Psicologia cultural da Religião: princípios, enfoques e aplicação. Trad. José Cazarotto, Edênio Valle. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2010. 485p.
BENISTE, J. Òrun – Àiyé: o encontro de dois mundos: o sistema de relacionamento nagô-yorubá entre o céu e a Terra. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004. 336p.
BERKENBROCK, V. A experiência dos orixás: um estudo sobre experiência religiosa no candomblé. 2. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1999. 474p.
BESSA, D. A Batalha Espiritual e o Erotismo. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 6, n. 1, p. 39-49, mar. 2006.
BÍBLIA, N.T. Mateus. In: BÍBLIA. Português. A Bíblia Sagrada. Trad. João de Almeida. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1993. p. 17.
CARVALHO, C. Entre práticas e representações: o bairro do Engenho Velho da Federação segundo candomblecistas (do Terreiro do Cobre) e evangélicos (da Igreja Universal). 2016. 229f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.
CASSIRER, E. Ensaio sobre o homem: introdução a uma filosofia da cultura humana. Trad. Tomás Bueno. São Paulo: Martins Fontes, 1994. 400p.
CHAVEIRO, E. Corporeidade e lugar: elos da produção da existência. In: HOLZER, W.; DE OLIVEIRA, L. (Orgs.) Qual espaço do lugar? São Paulo: Ed. Perspectiva, 2014. p. 249-280.
DARDEL, E. O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. Trad. Werther Holzer. São Paulo: Editora Perspectiva, 2015. 159p.
DURKHEIM, E. As formas elementares da vida religiosa: o sistema totêmico na Austrália. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Paulinas, 1996. 499p.
FERNANDES, D. Juventudes, Geografia e religião: reflexões a partir das noções de forma simbólica e habitus. RA´E GA. O espaço geográfico em análise, Curitiba, v. 27, n. 1, p. 67-93, 2013.
GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008. 226p.
GIROTO, I. O universo mágico-religioso negro-africano e afro-brasileiro: Bantu e Nàgó. 1999. 410f. Tese (Doutorado em Antropologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
HEIDEGGER, M. Ser e o tempo. Trad. Marcia Schuback. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2005. 325p.
LEFEBVRE, H. La production de l´espace. 4. ed. Paris: Anthropos, 2000. 265p.
MARIANO, R. Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal. Revista Estudos Avançados, São Paulo, n. 18, v. 52, p. 121-138, 2004.
MASSIMI, M. Representação do sagrado e dinamismo psíquico. In: PAIVA, G.; ZANGARI, W. (Orgs.) A representação na Religião: perspectivas psicológicas. São Paulo: Edições Loyola, 2004. p. 105-112.
MONTENAZO, M. Cultura religiosa protestante e rendimento escolar nas camadas populares: um estudo sobre as práticas socializadoras. São Paulo. 2006. 103f. Dissertação (Mestrado em Sociologia da Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
MORAES, G. Neopentecostalismo - um conceito-obstáculo na
compreensão do subcampo religioso pentecostal brasileiro. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 1-19, jun. 2010.
NETO, G.; JUNIOR, M. A Sedução divina no neopentecostalismo: um estudo psicanalítico. Revista Mal-estar e Subjetividade, Fortaleza, v. 10, n. 3, p. 757-786, set. 2010.
OLIVEIRA, D. Cosmovisão Africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescendente. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2006. 188p.
OLIVEIRA, J. Africanidades e educação: ancestralidade, identidade e oralidade no pensamento de Kabengele Munanga. 2009. 298f. Tese (Doutorado em Cultura, Organização e Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.
SANTOS, M. A natureza do espaço: Técnica e tempo. Razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. 259p.
SILVA, A.; GIL FILHO, S. Geografia da Religião a partir das formas simbólicas em Ernst Cassirer: um estudo da Igreja Internacional da Graça de Deus no Brasil. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 73-91, jun. 2009.
TRÍAS, E. Pensar a religião: o símbolo e o sagrado. In: DERRIDA, J.; VATTIMO, G. (Orgs.) A religião: o seminário de Capri. São Paulo: Editora Liberdade ltda, 2000. p. 109-124.
TUAN, Y. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Trad. Lívia de Oliveira. Londrina: Eduel, 2012. 342p.
VALLE, E. Neurociências e religião: interfaces. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 6, n. 3, p. 1-49, set. 2001.
VITIELLO, V. Deserto, éthos, abandono: contribuição para uma topologia do religioso. In: DERRIDA, J.; VATTMO, G. (Orgs.) A religião: o seminário de Capri. São Paulo: Editora Liberdade, 2000, p. 151-188.
Published
05/03/2018
How to Cite
CARVALHO, Caê Garcia. SPATIAL DIMENSION OF RELIGIOUS EXPERIENCE. Mercator, Fortaleza, v. 17, mar. 2018. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/rm2018.e17006>. Date accessed: 28 mar. 2020. doi: https://doi.org/10.4215/rm2018.e17006.
Section
ARTICLES