PEDOGEOMORPHOLOGICAL SYSTEMS IN THE INTERPRETATION OF THE EVOLUTION OF QUATERNARY LANDSCAPES IN HUMID TROPICAL CLIMATES

Abstract

There is always a relationship between soil and relief in the landscapes of humid tropical and subtropical climates, due to the thick mantles of regolith resulting from accelerated physical, chemical, and biological weathering. It is important to investigate pedogeomorphological systems in the systemic analyses of the origin and modeling processes of the terrestrial surface. This paper seeks to establish the central relationships between Geomorphology and Pedology, and the importance of pedogeomorphological systems in the evolutionary interpretation of quaternary landscapes in humid tropical climates. Thus, the discussions address the influence of landforms on soil formation and spatialization and the pedological impacts on the modification of relief forms, as well as the methodological support from Pedology to Geomorphology concerning the evolutionary interpretation of tropical landscapes. Therefore, there is evidence of the need for closer links between the studies of geomorphological and pedological systems in the analysis of tropical landscapes.

Keywords: Geomorphology, Pedology, Morphogenesis, Pedogenesis, Structural Analysis of Pedological Cover.

Author Biographies

Felipe Gomes Rubira, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Doutor em Geografia. Professor da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Barreiras (BA), Brazil.

André Mateus Barreiros, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo (SP), Brasil

Dr. em Geografia pela Universidade de São Paulo.

Fernando Nadal Junqueira Villela, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo (SP), Brasil

Prof Dr da Universidade de São Paulo (USP)

Archimedes Perez Filho, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Professor Dr. Da Universidade de Campinas

References

AB’SÁBER, A. N. Conhecimento sobre as flutuações climáticas do Quaternário no Brasil. Boletim da Sociedade Brasileira de Geologia, v.6, p. 41-48, 1957.
AB’SÁBER, A. N. Revisão dos conhecimentos sobre o horizonte sub-superficial de cascalhos inhumados do Brasil Oriental. Curitiba. Boletim da Universidade do Paraná, Geografia Física, 2, 1962, p1-32.
ALMEIDA, F. F. M.; CARNEIRO, C. D. R. Origem e evolução da Serra do Mar. Revista Brasileira de Geociências, n.28, v.2, p.135-155, 1998.
ALVES, G. B.; QUEIROZ NETO, J. P; NAKASHIMA, M. R.; SILVA, J. P. As couraças e seu papel no estudo da evolução do relevo, em Maracaí/SP. Revista Geonorte, Edição Especial 4, v.10, n.1, p.34-39, 2014.
ARANHA, R. D. Estudo morfológico da bacia do Ribeirão do Baú São Bento do Sapucaí- SP. 2011. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.
BASTOS, C. A. B. Estudo geotécnico sobre a erodibilidade de solos residuais não saturados. 1999. 251f. Tese de Doutorado em Engenharia Civil apresentada a Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.
BENNEMA, J.; CAMARGO, M. N.; WRIGHT, A. C. S. Regional contrasts in South American soil formation in relation to soil classification and soil fertility. In: INTERNATIONAL SOIL CONFERENCE, New Zealand, Transactions, p.2-15, 1962.
BERTONI, J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. 1. ed. Piracicaba: Livroceres, 1985. 392p.
BIGARELLA, J. J.; MARQUES FILHO, P. L.; AB’SÁBER, A. N. Ocorrência de Pedimentos Remanescentes nas Fraldas da Serra do Iquererim (Garuva, SC). Boletim Paranaense de Geografia, Curitiba, n. 4 e 5, p. 82-93, 1961.
BIGARELLA, J. J.; MOUSINHO, M.R.; SILVA, J. X. Pediplanos, pedimentos e seus depósitos no Brasil. Boletim Paranaense de Geografia, v. 16/17, p.117-151, 1965.
BOQUIER, G. Genèse et évolution de deux toposéquences de sols tropicaux du Tchad: interprétation biogéodynamique. Mém. ORSTOM, vol. 62, 1973. 351 p.
BOULET, R. Toposéquences de sols tropicaux en Haute Volta: équilibres et déséquilibres pédobioclimatiques. Mém. ORSTOM, vol. 85, 1978. 272 p.
BOULET, R. Análise Estrutural da Cobertura Pedológica e Cartografia. In: Anais do XXI Congresso Brasileiro de Ciência do Solo: A responsabilidade social da ciência do solo. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, p. 79-90, 1988.
BOULET, R. Uma evolução recente da pedologia e suas implicações no conhecimento da gênese do relevo. In: Anais do III Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário. Belo Horizonte: ABEQUA, 1992.
BOULET, R.; CHAUVEL, A.; HUMBEL, F. X.; LUCAS, Y. Analyse structurale et cartographie en pédologie I. Prise en compte de l’organisation bidimensionnelle de la couverture pédologique: les études de toposéquences et leurs principaux apports à la connaissance des sols. Cahiers ORSTOM, v. 19, n. 4, p. 309-322, 1982a.
BOULET, R.; CHAUVEL, A.; HUMBEL, F. X.; LUCAS, Y. Analyse structurale et cartographie en pédologie II. Une méthode d’analyse prenant en compte l’organisation tridimensionnelle des couvertures pédologiques. Cahiers ORSTOM, v. 19, n. 4, p. 323-339, 1982b.
BOULET, R.; CHAUVEL, A.; HUMBEL, F. X.; LUCAS, Y. Analyse structurale et cartographie en pédologie III. Passage de la phase analytique à une cartographie générale synthétique. Cahiers ORSTOM, v. 19, n. 4, p. 341-351, 1982c.
BOULET, R.; CHAUVEL, R.; LUCAS, Y. Les Systèmes de Transformation en Pédologie. Libre Jubilaire du Cinquantenaire. Paris: AFES, 1984. p. 167-179.
BÜDEL, J. Climatic Geomorphology. New Jersey: Princeton University Press, 1982. 443p
CARVALHO, A.; MELFI, A.; BITTENCOURT, L; QUEIROZ NETO, J. P.; NAKASHIMA, P. Sedimentos néo-cenozóicos da área de Campinas, est. S. Paulo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 21, 1969, p. 58-70.
CASTRO, S. S. Sistemas de transformação pedológica em Marília: B latossólicos e B texturais. 1990. 274f. Tese (Doutorado em Geografia Física) - FF C H, USP, São Paulo.
CHAGAS, S. S.; FERNANDES FILHO, E. I.; BHERING, S. B. Relação entre atributos do terreno, material de origem e solos em uma área no noroeste do Estado do Rio de Janeiro. Soc. & Nat., Uberlândia, v. 25, n.1, p.147-162, 2013
CHAUVEL, A. Recherches sur la transformation des sols ferrallitiques dans la zone tropicale à saisons contrastées. Mém. ORSTOM, nº. 62, 1977. 532 p.
CHAUVEL, A.; LUCAS, Y. Soil formation in tropically weathered terrains. In: GOVETT, C. J. S. (ed). Handbook if Exploration Geochemistry. NY, Elseveier., 1992, p. 57-77.
COLANGELO, A. C. O modelo de feições mínimas ou das unidades elementares de relevo: um suporte cartográfico para mapeamentos geoecológicos. Revista do Departamento de Geografia (USP), São Paulo, v. 10, p. 29-40, 1996.
COLANGELO, A. C. Geomorfossíntese e Geomorfocinemática aplicadas à evolução e estabilidade de vertentes. 2007. 228 f. Tese (Livre Docência) − Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.
COLTRINARI, L. Evolução geomorfológica do Planalto de São José dos Campos (SP). 2003. 114 f. Tese (Livre Docência) − Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
COLTRINARI, L. Paleosurfaces in southeastern Brazil: São José dos Campos plateau landform evolution. Geociências, São Paulo, v. 30, n.1, p. 113-120, 2011.
COUTARD, J. P.; PELLERIN, J.; AGUIAR, M. B.; COLTRINARI, L. Carta do Modelado e das Formações Superficiais do Médio Vale do Parateí – SP: Memorial Explicativo. São Paulo: Sedimentologia e Pedologia, IGEOG-USP, n. 9, p. 1-18, 1978. Escala 1 : 25.000.
CUNHA, P.; MARQUES JÚNIOR, J.; C. N.; PEREIRA, G. T.; LEPSCH, I. F. Superfícies geomórficas e atributos de Latossolos em uma sequência areníticobasáltica da região de Jaboticabal (SP). R. Bras. Ci. Solo, v.29, p.81-90, 2005.
CURI, N.; FRANZMEIER, D. P. Toposequence of oxisols from the Central plateau of Brazil. Soil Sci. Soc. Am. J., v.48, p.341-346, 1984.
DELVIGNE, J. E. Pédogenèse en zone tropicale : la formation des minéraux secondaires en milieu ferralitique. Mém. ORSTOM, vol. 13, 1965. 117 p.
DEWOLF, Y. Proposition pour une définition, une typologie et une cartographie des formations superficielles. USP, Dep. Geogr., Col. Est. Cart. Form. Sup. e Aplic. Reg. Trop., vol. 1: p. 433-445, 1983.
DIAS FERREIRA, R. P.; COUTARD, J. P.; PELLERIN, J. Q.; QUEIROZ NETO, J. P. Carta Geomorfológica de São Pedro, SP (1:50.000) - Memorial Explicativo. Sedimentologia e Pedologia, São Paulo, v. 12, 1978.
DIAS FERREIRA, R. P. Solos e morfogênese em São Pedro, SP. 1997. 157. Tese (Doutorado em Geografia Física) - Dep. Geografia, FFLCH, USP, São Paulo.
DOKUCHAEV, V. V. Russian Chernozem – Volume I. Traduzido do russo por N. Kaner. Jerusalem: Israel Program for Scientific Translations, 1967. 439 p. (Selected Works of V. V. Dokuchaev)
EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA – EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília, Serviço de Produção de Informação, 1999. 412p.
ERHART, H. La Genèse des Sols en Tant que Phénomène Géologique: Esquisse d’une Théorie Géologique et Géochimique, Biostasie et Rhexistasie. Paris, Masson, 1956, 90 p.
ESPINDOLA, C. R. A pedologia e a evolução das paisagens. Revista do Instituto Geológico, São Paulo, v.31, n.1/2, p.67-92, 2010.
FERNANDES BARROS, O. N. Análise estrutural e cartografia detalhada de solos em Marília/SP: ensaio metodológico. 1985. 146f. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) - Dep. Geografia, FFLCH, USP, São Paulo.
FEUER, R. An Exploratory Investigation of the Soils and Agricultural Potential of the Soils of the Future Federal District in the Central Plateau of Brazil. Cornell University, 1956, 864 p.
FURQUIM, S. A. C. Interações Entre Modelado e Solo no Transecto Espraiado, São Pedro, SP. 2002. 170 f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
FURQUIM, S. A. C.; COLTRINARI, L.; DIAS FERREIRA, R. P.; CASTRO, S. S.; PUGLIESE, G. R. Lamellae Formation Processes in Tropical Soils in Southeastern Brazil. Catena (Cremlingen), v. 107, 2013, p. 15-25.
GALETI, P. A. Conservação do solo, reflorestamento, clima. 2. ed. Campinas: Instituto Campineiro de Ensino Agrícola, 1982. 286p.
GALLANT, J. C.; WILSON, J. P. Primary topographic attributes. In: WILSON, J. P.; GALLANT, J. C. (Eds.). Terrain Analysis: Principles and applications. New York: John Wiley & Sons, 2000. p.51-85.
GALVÃO, S. R. S.; SALCEDO, I. H.; SANTOS, A. C. Frações de carbono e nitrogênio em função da textura, do relevo e do uso do solo na microbacia do agreste em Vaca Brava (PB). R. Bras. Ci. Solo, v.29, n.4, p.955-962, 2005.
GROSSMAN, R. B. Entisols. In: WILDING, L. P.; SMECK, N. E.; HALL, G. F. (Eds.). Pedogenesis and soil taxonomy. II. The soil orders. Developments in soil science. New York: Elsevier, 1983. v.11b, p.55-86.
HALL, G. F.; OLSON, C. G. Predicting variability of soils from landscape models. In: MAUSBACH, M. J.; WILDING, L. P. (Eds.). Spatial variabilities of soils and landforms. Madison, Wisconsin: Soil Science Society of America, 1991. p. 9-24. (SSSA Special Publication; nº 28).
JENNY, H. Factors of soil formation. 1.ed. New York, McGraw- Hill, 1941. 362p.
JOURNAUX, A. O Estudo das Formações Superficiais na França. Sedimentologia e Pedologia, n. 4, Instituto de Geografia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1973, p. 1-19.
LACERDA, M. P. C.; BARBOSA, I. O.; MENESES, P. R.; ROSA, J. W. C.; ROIG, H. L. Aplicação de geotecnologias em correlações entre solos, geomorfologia, geologia e vegetação nativa no Distrito Federal, DF. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 12., Goiânia, 2005. Anais. Goiânia, INPE, 2005. p.2211-2218. CD-ROM.
LEÃO, M. G. A. 119f. Relação entre atributos de uma vertente com Latossolos e qualidade de frutos cítricos. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2004.
LEPSCH, I. F.; BELLINAZZI JR., R.; BERTOLINI, D.; ESPÍNDOLA, C. R. Manual para levantamento utilitário do meio físico e classificação de terras no sistema de capacidade de uso. 4ª aproximação. Campinas: SBCS, 1991, 175p
LEPSCH, I. F.; BUOL, S. W. Oxisol Landscape relationships in Brazil. In: INTERNATIONAL SOIL CLASSIFICATION WORKSHOP, 13., Campinas, 1986. Papers. Campinas, SNLCS/Embrapa, USDA, University of Puerto Rico, 1986. p.174-189.
LUCAS, Y.; CHAUVEL, A.; BOULET, R.; RANZANI, G.; SCATOLINI, F. Transição latossolos - podzóis sobre Formação Barreiras na região de Manaus. Rev. Bras. Ci. Solo, v. 8, p. 325- 335, 1984.
MILLOT, G. Géochimie de la surface et formes du relief - présentation. Sci. Géol. Bull., Strasbourg, v. 30, n. 4, 1977, p. 229-233.
MILLOT, G. Planation of Continents by Intertropical Weathering and Pedogenetic Processes. In: International Seminar on Lateritisation Processes, 1983, São Paulo. Proceedings... São Paulo: IUGS, UNESCO, IGCP, IAGC, 1983. p. 53-63.
MILNE, G. Some suggested units of classification and mapping particularly for East African soils. Soil Research, v. n.3, p. 183-198, 1935.
MILNE, G. Normal erosion as a factor in soil profile development. Nature, set., 26, p. 548-549, 1936.
NAKASHIMA, M. R.; ALVES, G. B.; BARREIROS, A. M.; QUEIROZ NETO, J. P. Dos solos à paisagem: uma discussão teórico-metodológica. Revista da ANPEGE, v. 13, p. 30-52, 2017.
OLIVEIRA, J. B.; JACOMINE, P. K. T.; CAMARGO, M. N. Classes Gerais de Solos do Brasil. Jaboticabal, FUNEP, 1992. 201p.
PELLERIN, J.; HELLUIN, M. Análise estrutural e organização das paisagens: as pesquisas visando a generalização cartográfica. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 21, 1998, Campinas. Anais, Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, p. 455-463, 1988.
PENTEADO, M. M. Fundamentos de Geomorfologia. 2ª ed., Rio de Janeiro: IBGE, 1978, 180p.
QUEIROZ NETO, J. P. Interpretação dos solos da Serra de Santana para fins de classificação. USP, ESALQ, Tese de Doutoramento, 1969, 123 p.
QUEIROZ NETO, J. P. O Estudo das Formações Superficiais no Brasil. Revista do Instituto Geológico 22 (1/2), São Paulo, 2001, p. 65-78.
QUEIROZ NETO, J. P. Análise Estrutural da Cobertura Pedológica: Uma Experiência de Ensino e Pesquisa. Revista do Departamento de Geografia, nº 15, pp. 77 – 90, 2002.
QUEIROZ NETO, J. P. O papel da pedogênese no modelado do relevo: busca de novos paradigmas. In: SEMINÁRIO LATINO AMERICANO DE GEOGRAFIA FÍSICA, 6 E SEMINÁRIO IBERO AMERICANO DE GEOGRAFIA FÍSICA, 2, 2010, Coimbra. Anais, Coimbra, 2010, p.1-19.
QUEIROZ NETO, J. P. Relações entre as vertentes e os solos: revisão de conceitos. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 12, n.3, p. 15-24, 2011.
RESENDE, M.; CURI, N.; KER, J. C.; REZENDE, S. B. Mineralogia de solos brasileiros: Interpretação e aplicações. Lavras, Universidade Federal de Lavras, 2005.192p.
ROSS, J. S. Registro cartográfico dos fatos geomorfológicos e a questão da taxonomia do relevo. Revista do Departamento de Geografia (USP), v.6, p.17-29, 1992.
RUBIRA, F. G.; MELO, G. V.; OLIVEIRA, F. K. S. Proposta de padronização dos conceitos de erosão em ambientes úmidos de encosta. Revista de Geografia (Recife), v.33, n.1, p.168-193, 2016.
RUBIRA, F. G.; PEREZ FILHO, A.; MELO, G. V. Análise macromorfológica da cobertura pedológica e perfil da topossequência realizada em um segmento da vertente da FEI/UEM. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA E CONGRESSO NACIONAL DE GEOGRAFIA FÍSICA, 17/1, 2017, Campinas – SP. Anais, v.1, p.1-13, 2017.
RUELLAN, A. Contribuição das pesquisas em Zona Tropical ao desenvolvimento da Ciência do Solo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 21, 1998, Campinas. Anais, Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, p. 405-414, 1988.
RUELLAN, A.; DOSSO, M. Regards sur le sol. Paris: Éditions Foucher-AUPELF, Collection Universités francophones, 1993. 192 p.
RUHE, R. V. Geomorphology: geomorphic processes and surficial geology. Boston, Massachusetts: Houghton Mifflin, 1975, 246 p.
SANTOS, A. C. Fertilidade do solo e redistribuição de 137Cs em função da cobertura vegetal, relevo e classes texturais, em uma microbacia hidrográfica do Estado da Paraíba. 67f. Tese (Doutorado em Tecnologias nucleares e energéticas). Centro de Tecnologias e Geociências, Universidade Federal de Pernambuco, 2004.
SANTOS, A. C.; SALCEDO, I. H.; CANDEIAS, A. L. B. Relação entre o relevo e as classes texturais do solo na microbacia hidrográfica de Vaca Brava, PB. Revista Brasileira de Cartografia, nº 54, p.86-94, 2002.
SANTOS, A. C.; SALCEDO, I. H.; GALVÃO, S. R. S. Relações entre uso do solo, relevo e fertilidade do solo em escala de microbacia. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental v.12, n.5, p.458–464, 2008.
SILVA, A. C.; TORRADO, P. V. Gênese dos Latossolos húmicos e sua relação com a evolução da paisagem numa área cratônica do Sul de Minas Gerais. R. Bras. Ci. Solo, v.23, p.329-341, 1999.
SILVA, A. C.; TORRADO, P. V.; PÉREZ, M. G.; MARTIN NETO, L.; VASQUEZ, F. M. Relações entre matéria orgânica do solo e declividade de vertentes em topossequência de Latossolos do sul de Minas Gerais. R. Bras. Ci. Solo, v.31, p.1059-1068, 2007.
SILVEIRA, C. T.; FIORI, A. P.; FERREIRA, A. M.; FELIPE, R. S.; KEPEL FILHO, J. L.; FOLADOR, R. M.; COSTA, L. C. Análise do fator de segurança da estabilidade das vertentes na bacia do rio Jacareí, serra do mar paranaense. Revista Brasileira de Geomorfologia, v.13, n.3, p.287-297, 2012.
SOUZA JUNIOR, J. G. A.; DEMATTÊ, J. A. M. Modelo digital de elevação na caracterização de solos desenvolvidos de basalto e material arenítico. R. Bras. Ci. Solo, n.32, p. 449-456, 2008.
SOUZA, C. K.; MARQUES JUNIOR, J.; MARTINS FILHO, M. V.; G. T. PEREIRA. Influência do relevo e erosão na variabilidade espacial de um Latossolo em Jaboticabal (SP). R. Bras. Ci. Solo, n.27, p.1067-1074, 2003.
SOUZA, Z.; MARQUES JÚNIOR, J.; PEREIRA, G. T. Variabilidade espacial de atributos físicos do solo em diferentes formas do relevo sob cultivo de cana-de-açúcar. R. Bras. Ci. Solo, v.28, p.937-944, 2004.
THOMAS, M. F. Geomorphology in the Tropics: A Study of Weathering and Denudation in Low Latitudes. Chichester: Wiley, 1994. 460 p.
TRICART, J. Tentative de corrélation des périodes pluviales africaines et des périodes glaciaires. C. R. Somm des Séances Soe. Geol. de France, Paris, n.9, p. 164-167, 1956.
TRICART, J. Observation des Phénomènes et des Faits Géomorphologiques. In: TRICART, J. La Cartographie Géomorphologique Détaillée. Principes et Méthodes de la Géomorphologie. Paris: Masson e Cie Editeurs, 1965. p. 183-233.
TRICART, J. As relações entre a morfogênese e a pedogênese. Notícia Geomorfológica, v. 8, n. 15, p. 5-18, 1968.
TRICART, J.; CAILLEUX, A. Morphoclimatic Mechanisms. In: TRICART, J.; CAILLEUX, A. Introduction to Climatic Geomorphology. Longman, 1972, p. 47-65.
TROEH, F. R. Landform equations fitted to contour maps. American Journal of Science, v.263, p. 616 - 627, 1965.
VILLELA, F. N. J.; ROSS, J. L. S.; MANFREDINI, S. Análise Geomorfopedológica na Borda Leste da Bacia Sedimentar do Paraná, Sudeste do Brasil. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 16, 2015, p. 669-682.
YOUNG, A. Slopes. Edinburgh: Oliver and Boyd, 1972, 288p.
Published
23/10/2019
How to Cite
RUBIRA, Felipe Gomes et al. PEDOGEOMORPHOLOGICAL SYSTEMS IN THE INTERPRETATION OF THE EVOLUTION OF QUATERNARY LANDSCAPES IN HUMID TROPICAL CLIMATES. Mercator, Fortaleza, v. 18, oct. 2019. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/e18020>. Date accessed: 03 july 2020. doi: https://doi.org/10.4215/rm2019.e18020.
Section
ARTICLES