FISSURES IN CRITICAL SOCIAL THEORY AND PATHS FOR THE RENEWAL OF GEOGRAPHY

Abstract

 This critical-interpretative and descriptive text analyzes the main weaknesses of critical social theory and critical Marxist geography. It aims to explore theoretical and methodological references that offer alternative explanations for rethinking central themes of Economic and Urban Geography: unequal development and the peripheralization of the economy. The study is based on reflections upon the relationship of Karl Popper's philosophy of science with the work of the Austrian School of Economics and the theses of the Institutionalist School. Karl Popper's theory of scientific knowledge has two pillars: the concepts of falsifiability and open societies, which are more susceptible to the development of a science capable of getting rid of dogmas. Popper's ethical analysis warns that the capacity for self-criticism is the basis for the development of science. By associating such ethical behavior with open and democratic societies, Karl Popper made profound epistemological criticisms of Marxism, a tradition of thought that still exercises a profound influence in Brazilian geography. We conclude that Karl Popper's scientific conceptions are relevant to the epistemological criticism proposed and exploring new paths of scientific investigation of economic-spatial phenomena. 


Keywords: Critical Geography; Epistemology; Economic Development; Austrian School; Institutionalism.

Author Biographies

Mariza Ferreira da Silva, Universidade Federal do Paraná

Possui Doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (2019) e Mestrado em Geografia - Tratamento da Informação Espacial pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2011). Possui Graduação em Geografia (Bacharelado e Licenciatura) pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2005) e Graduação em Pedagogia (Licenciatura Plena) pela Fundação Mineira de Educação e Cultura (1989/1990). Possui Especialização em Educação (Orientação Educacional) pelo Instituto de Educação de Minas Gerais - Centro de Pesquisas Educacionais de Minas Gerais (1990). Atualmente é Pesquisadora Doutora, na Universidade Federal do Paraná. 

Edu Silvestre de Albuquerque, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui Doutorado em Geografia (UFSC, 2007). Mestrado em Geografia Humana (USP, 1998). Especialização em Integração Econômica e Mercosul (UFRGS, 1995). Licenciatura e Bacharelado em Geografia (UFRGS, 1994/1995). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e professor permanente do Programa de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia da UFRN (Mestrado e Doutorado). Professor Pesquisador do EaD. Editor-Gerente  da Revista de Geopolítica. Organizador da coletânea "Que País é esse?" (Editora Globo), de livros e de artigos científicos nas áreas de geopolítica e relações internacionais. Atua na elaboração de material didático de Geografia na modalidade EaD. Temáticas de pesquisa: geopolítica e relações internacionais; Economia Distributista.

Luis Lopes Diniz Filho, Universidade Federal do Paraná

Possui Doutorado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (2000). Mestrado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (1994). Graduação em Geografia pela Universidade de São Paulo (1990). Atualmente é Professor Associado 3 do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência nas atividades de ensino e pesquisa em Geografia, com ênfase nas seguintes áreas: epistemologia da geografia, geografia econômica e geografia regional do Brasil.

References

ACEMOGLU, Daron; ROBINSON, James. A. Por que as nações fracassam: as origens do poder, da prosperidade e da pobreza – Tradução de Cristina Serra. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 401 p.
BOEHM-BAWERK, Eugen von. Teoria da Exploração do Socialismo Comunismo. São Paulo: Editora José Olympio, 1987.
CALDEIRA, J. História do Brasil com empreendedores. 1. ed. São Paulo: Mameluco, 2009.
CHESTERTON, Gilbert K. O que há de errado com o mundo. Campinas: Ecclesiae, 2013 [1910].
CONSTANTINO, Rodrigo. Economia do Indivíduo: o Legado da Escola Austríaca. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises Brasil, 2009.
DE SOTO, H. O mistério do Capital. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
DINIZ FILHO, L. L. Certa má herança marxista: elementos para repensar a geografia crítica. In: KOZEL, S.; MENDONÇA, F. A. (Org.). Elementos de epistemologia da geografia contemporânea. Curitiba: Ed. da UFPR, 2002.
DINIZ FILHO, L. L. A geografia crítica brasileira: reflexões sobre um debate recente. Geografia, Rio Claro, v. 28, n. 3, p. 307-321, set./dez. 2003.
DINIZ FILHO, L. L. Por uma crítica da geografia crítica. 1 Ed. Ponta Grossa: Editora da UEPG, 2013.
GALA, Paulo. A teoria institucional de Douglass North. Revista de Economia Política, v. 23, n. 2 (90), abril-junho. 2003.
HARVEY, David. A condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 3ª ed. Trad. Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 1993.
LIPIETZ, Alain. Miragens e Milagres: Problemas da industrialização no Terceiro Mundo. São Paulo: Nobel, 1998.
LOPES, Herton Castiglioni. Instituições e crescimento econômico: os modelos teóricos de Thorstein Veblen e Douglass North. Rev. Econ. Polit., São Paulo, v.33, n.4, p.619-637, Dec. 2013.Availablefrom .accesson 26 May 2020. https://doi.org/10.1590/S0101-31572013000400004.
NORTH, Douglass Cecil; THOMAS, Robert Paul. The rise of the western world: a new economic history. Cambridge: Cambridge University Press. 1973.
PIAIA, Thami Covatti. Instituições, organizações e mudança institucional: análises e perspectivas. Justiça do Direito. V. 27, n. 2, jul./dez. 2013. p. 257-274.
POPPER, Karl Raimund. A sociedade aberta e os seus inimigos. Lisboa: Lisboa Edições70 Lda., 2012. (Biblioteca de Teoria Política, 2 v.).
POPPER, Karl. A lógica da pesquisa científica. São Paulo: Cultrix, [1959] 2013.
RANQUETAT JÚNIOR, Cesar Alberto. Da direita moderna à direita tradicional: análise de uma categoria metapolítica. Curitiba: Editora Prismas, 2017.
REVEL, Jean François. A Grande Parada. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 2001.
SANTOS, Milton. Sociedade e Espaço: A Formação Social como Teoria e como Método. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n.54, p.81-100, jun. 1977.
SANTOS, Milton. Espaço e método. São Paulo: Nobel, 1985.
SANTOS, Milton. Técnica, Espaço, Tempo: Globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Hucitec, 1994.
SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.
SILVA, Mariza Ferreira da. A cientificidade da Geografia Crítica em questão: avaliação das contribuições de Milton Santos e David Harvey com base na teoria da ciência de Karl Popper. [Tese de Doutorado]. Curitiba, UFPR, 2019.
SOJA, Edward. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.
WOODS JR., Thomas E. Como a Igreja Católica construiu a civilização ocidental. 9ª ed. São Paulo: Quadrante, 2014.
Published
22/07/2021
How to Cite
SILVA, Mariza Ferreira da; ALBUQUERQUE, Edu Silvestre de; DINIZ FILHO, Luis Lopes. FISSURES IN CRITICAL SOCIAL THEORY AND PATHS FOR THE RENEWAL OF GEOGRAPHY. Mercator, Fortaleza, v. 20, july 2021. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/e20020>. Date accessed: 18 sep. 2021. doi: https://doi.org/10.4215/rm2021.e20020.
Section
ARTICLES